Como curar o refluxo gástrico?

0 views
0%

Também chamado de refluxo gastresofágico (ou abreviadamente ERGE), esse problema consiste na passagem do teor gástrico do estômago para o esôfago, devido a uma alteração nas “barreiras” naturais do corpo.

Nem sempre configura uma doença, podendo ocorrer devido a alguns hábitos alimentares ruins. Confira o artigo a seguir e aprenda a curar o refluxo gástrico.

Causas e sintomas do refluxo gástrico

Uma das causas mais importantes ou recorrentes desse problema é o desequilíbrio do esfíncter esofágico interior, que é uma espécie de anel que rodeia o esôfago no lugar onde ele se une com o estômago, e que permanece fechado para evitar que os sucos gástricos “subam” através do esôfago. Quando esse anel é alterado a pressão é menor, o músculo se relaxa e não exerce sua função.

Determinados medicamentos ou substâncias, como o álcool, a cafeína ou o cigarro, favorecem o refluxo, que é um dos transtornos mais habituais (15% da população adulta é afligida por ele pelo menos uma vez por semana e 7% diariamente).

Dentre os sintomas do refluxo gastresofágico podemos destacar:

  • Azia: é o mais conhecido e consiste na sensação de queimação ou “fogo” que acontece na altura do osso conhecido como esterno. Essa sensação aumenta depois que comemos muito e nos deitamos em seguida.
  • Regurgitação com gosto azedo na boca, dor torácica ou dificuldade para engolir alimentos ou saliva.
  • Alterações respiratórias, principalmente à noite: bronquite, pneumonia, asma, etc.
  • Outras manifestações: dor abdominal, arrotos frequentes, estômago pesado depois das refeições, soluços, enjoos, incômodos na laringe ou faringe, sensação de ter algum objeto estranho na garganta e inclusive afonia.
  • Nas crianças, o principal sintoma é a regurgitação excessiva e problemas respiratórios. Quando isso se torna crônico, pode culminar em uma anemia, torcicolo intermitente e atraso no crescimento.

Dicas para evitar o refluxo gástrico

Refluxo gástrico

  • Evite se deitar imediatamente após comer, principalmente depois do jantar. Deixe passarem algumas horas de acordo com o tempo “normal” que seu organismo leva para fazer a digestão;
  • Levante a cabeceira da cama a aproximadamente 15 centímetros, para isso é possível usar tocos de madeira debaixo de cada um dos dois pés dianteiros da cama. Assim, o corpo não ficará deitado por completo, mantendo uma inclinação segura;
  • Não coloque mais almofadas para elevar a cabeça quando for deitar, porque isso apenas flexionará seu pescoço, causando problemas. Na realidade, o que devemos elevar é todo o tronco superior e não apenas o pescoço;
  • Não use roupas ou acessórios muito apertados na hora de comer, o melhor são roupas que cedem, assim não ficarão muito apertadas no corpo;
  • Não faça refeições muito abundantes. É preferível que sejam seis porções pequenas ou duas moderadas;
  • Controle a obesidade e o sobrepeso;
  • Corte ou reduza o consumo de álcool e abandone o cigarro;
  • Evite alimentos e bebidas que relaxam o esfíncter esofágico, como, por exemplo, os chocolates, molhos, refogados, etc.
  • Evite fazer exercícios com movimentos bruscos, agachamentos, levantar pesos, etc. logo após as refeições;
  • Tente reduzir ao máximo o estresse;
  • Elimine alimentos que têm efeito irritante na mucosa gástrica e no esfíncter esofágico interior de sua alimentação. Alguns exemplos desses alimentos são: os gordurosos, alho, tomate, frituras, cebola, salgados fritos e de farinha branca, sucos, chá, fruto secos, bebidas de cola, refrigerantes, cítricos etc.;
  • Diminua o consumo de açúcares e alimentos processados, preste atenção ao equilíbrio da flora estomacal e intestinal;
  • Consuma mais frutas e verduras, bem como leite e iogurte desnatados.

Remédios naturais para curar o refluxo gástrico

  • Vinagre de maçã: antes das refeições, consuma uma colher de sopa de vinagre de maçã dissolvida em um copo de água gelada. Isso ajudará na digestão e ao mesmo tempo, proporcionará um alívio rápido do refluxo gástrico;
  • Bicarbonato de sódio: beba um copo de água com uma colher de sopa de bicarbonato de sódio, enquanto durar a efervescência;
  • Suco de babosa: é muito efetivo para o mal-estar estomacal e a inflamação do trato digestivo. Pegue um talo de babosa, tire a polpa e misture com um pouco de água. Beba uma vez por dia para aliviar os sintomas de queimação ou fogo na boca do estômago;
  • Alcaçuz: essa erva protege o trato digestivo e ajuda a eliminar o refluxo gástrico. Faça uma infusão com um pouco da planta seca para um litro de água. Tampe e coe. Beba uma xícara depois das refeições.
  • Leite de amêndoas: pode ser consumido antes ou depois das refeições, ou quando os sintomas de refluxo ou acidez começarem a aparecer. Coloque cem gramas de amêndoas com um litro de água no liquidificador. Misture bem e coe. É possível misturar de novo essa pasta com mais cinquenta gramas de amêndoas e meio litro de água. Adoce com mel, stévia ou canela.
  • Alimentos com fermentos naturais: assim como o leite ou água de kéfir, um pouco do líquido dos picles de pepino ou uma colher de sopa de chucrute. Isso aliviará rapidamente os sinais do refluxo gástrico.
  • Cravo-da-índia ou cardamomo: podem ser chupados como se fossem balas depois das refeições, ou ainda, é possível preparar uma infusão com ambos os ingredientes. Essas espécies te ajudarão a reduzir os níveis de acidez no estômago e os sintomas do refluxo.
  • Couve: prepare suco de couve diariamente (algumas folhas com um pouco de água no liquidificador), para tratar ou prevenir a ocorrência do refluxo gástrico.
  • Cominho: ferva uma xícara de água com algumas sementes de cominho e beba enquanto come.
  • Gengibre: o extrato de gengibre é muito bom para melhorar o mal-estar causado pelo refluxo. Também é possível realizar uma infusão com uma rodela muito pequena de gengibre em uma xícara de água fervente.
Também chamado de refluxo gastresofágico (ou abreviadamente ERGE), esse problema consiste na passagem do teor gástrico do estômago para o esôfago, devido a uma alteração nas “barreiras” naturais do corpo.

Nem sempre configura uma doença, podendo ocorrer devido a alguns hábitos alimentares ruins. Confira o artigo a seguir e aprenda a curar o refluxo gástrico.

Causas e sintomas do refluxo gástrico

Uma das causas mais importantes ou recorrentes desse problema é o desequilíbrio do esfíncter esofágico interior, que é uma espécie de anel que rodeia o esôfago no lugar onde ele se une com o estômago, e que permanece fechado para evitar que os sucos gástricos “subam” através do esôfago. Quando esse anel é alterado a pressão é menor, o músculo se relaxa e não exerce sua função.

Determinados medicamentos ou substâncias, como o álcool, a cafeína ou o cigarro, favorecem o refluxo, que é um dos transtornos mais habituais (15% da população adulta é afligida por ele pelo menos uma vez por semana e 7% diariamente).

Dentre os sintomas do refluxo gastresofágico podemos destacar:

  • Azia: é o mais conhecido e consiste na sensação de queimação ou “fogo” que acontece na altura do osso conhecido como esterno. Essa sensação aumenta depois que comemos muito e nos deitamos em seguida.
  • Regurgitação com gosto azedo na boca, dor torácica ou dificuldade para engolir alimentos ou saliva.
  • Alterações respiratórias, principalmente à noite: bronquite, pneumonia, asma, etc.
  • Outras manifestações: dor abdominal, arrotos frequentes, estômago pesado depois das refeições, soluços, enjoos, incômodos na laringe ou faringe, sensação de ter algum objeto estranho na garganta e inclusive afonia.
  • Nas crianças, o principal sintoma é a regurgitação excessiva e problemas respiratórios. Quando isso se torna crônico, pode culminar em uma anemia, torcicolo intermitente e atraso no crescimento.

Dicas para evitar o refluxo gástrico

Refluxo gástrico
  • Evite se deitar imediatamente após comer, principalmente depois do jantar. Deixe passarem algumas horas de acordo com o tempo “normal” que seu organismo leva para fazer a digestão;
  • Levante a cabeceira da cama a aproximadamente 15 centímetros, para isso é possível usar tocos de madeira debaixo de cada um dos dois pés dianteiros da cama. Assim, o corpo não ficará deitado por completo, mantendo uma inclinação segura;
  • Não coloque mais almofadas para elevar a cabeça quando for deitar, porque isso apenas flexionará seu pescoço, causando problemas. Na realidade, o que devemos elevar é todo o tronco superior e não apenas o pescoço;
  • Não use roupas ou acessórios muito apertados na hora de comer, o melhor são roupas que cedem, assim não ficarão muito apertadas no corpo;
  • Não faça refeições muito abundantes. É preferível que sejam seis porções pequenas ou duas moderadas;
  • Controle a obesidade e o sobrepeso;
  • Corte ou reduza o consumo de álcool e abandone o cigarro;
  • Evite alimentos e bebidas que relaxam o esfíncter esofágico, como, por exemplo, os chocolates, molhos, refogados, etc.
  • Evite fazer exercícios com movimentos bruscos, agachamentos, levantar pesos, etc. logo após as refeições;
  • Tente reduzir ao máximo o estresse;
  • Elimine alimentos que têm efeito irritante na mucosa gástrica e no esfíncter esofágico interior de sua alimentação. Alguns exemplos desses alimentos são: os gordurosos, alho, tomate, frituras, cebola, salgados fritos e de farinha branca, sucos, chá, fruto secos, bebidas de cola, refrigerantes, cítricos etc.;
  • Diminua o consumo de açúcares e alimentos processados, preste atenção ao equilíbrio da flora estomacal e intestinal;
  • Consuma mais frutas e verduras, bem como leite e iogurte desnatados.

Remédios naturais para curar o refluxo gástrico

  • Vinagre de maçã: antes das refeições, consuma uma colher de sopa de vinagre de maçã dissolvida em um copo de água gelada. Isso ajudará na digestão e ao mesmo tempo, proporcionará um alívio rápido do refluxo gástrico;
  • Bicarbonato de sódio: beba um copo de água com uma colher de sopa de bicarbonato de sódio, enquanto durar a efervescência;
  • Suco de babosa: é muito efetivo para o mal-estar estomacal e a inflamação do trato digestivo. Pegue um talo de babosa, tire a polpa e misture com um pouco de água. Beba uma vez por dia para aliviar os sintomas de queimação ou fogo na boca do estômago;
  • Alcaçuz: essa erva protege o trato digestivo e ajuda a eliminar o refluxo gástrico. Faça uma infusão com um pouco da planta seca para um litro de água. Tampe e coe. Beba uma xícara depois das refeições.
  • Leite de amêndoas: pode ser consumido antes ou depois das refeições, ou quando os sintomas de refluxo ou acidez começarem a aparecer. Coloque cem gramas de amêndoas com um litro de água no liquidificador. Misture bem e coe. É possível misturar de novo essa pasta com mais cinquenta gramas de amêndoas e meio litro de água. Adoce com mel, stévia ou canela.
  • Alimentos com fermentos naturais: assim como o leite ou água de kéfir, um pouco do líquido dos picles de pepino ou uma colher de sopa de chucrute. Isso aliviará rapidamente os sinais do refluxo gástrico.
  • Cravo-da-índia ou cardamomo: podem ser chupados como se fossem balas depois das refeições, ou ainda, é possível preparar uma infusão com ambos os ingredientes. Essas espécies te ajudarão a reduzir os níveis de acidez no estômago e os sintomas do refluxo.
  • Couve: prepare suco de couve diariamente (algumas folhas com um pouco de água no liquidificador), para tratar ou prevenir a ocorrência do refluxo gástrico.
  • Cominho: ferva uma xícara de água com algumas sementes de cominho e beba enquanto come.
  • Gengibre: o extrato de gengibre é muito bom para melhorar o mal-estar causado pelo refluxo. Também é possível realizar uma infusão com uma rodela muito pequena de gengibre em uma xícara de água fervente.
"> Também chamado de refluxo gastresofágico (ou abreviadamente ERGE), esse problema consiste na passagem do teor gástrico do estômago para o esôfago, devido a uma alteração nas “barreiras” naturais do corpo.

Nem sempre configura uma doença, podendo ocorrer devido a alguns hábitos alimentares ruins. Confira o artigo a seguir e aprenda a curar o refluxo gástrico.

Causas e sintomas do refluxo gástrico

Uma das causas mais importantes ou recorrentes desse problema é o desequilíbrio do esfíncter esofágico interior, que é uma espécie de anel que rodeia o esôfago no lugar onde ele se une com o estômago, e que permanece fechado para evitar que os sucos gástricos “subam” através do esôfago. Quando esse anel é alterado a pressão é menor, o músculo se relaxa e não exerce sua função.

Determinados medicamentos ou substâncias, como o álcool, a cafeína ou o cigarro, favorecem o refluxo, que é um dos transtornos mais habituais (15% da população adulta é afligida por ele pelo menos uma vez por semana e 7% diariamente).

Dentre os sintomas do refluxo gastresofágico podemos destacar:

  • Azia: é o mais conhecido e consiste na sensação de queimação ou “fogo” que acontece na altura do osso conhecido como esterno. Essa sensação aumenta depois que comemos muito e nos deitamos em seguida.
  • Regurgitação com gosto azedo na boca, dor torácica ou dificuldade para engolir alimentos ou saliva.
  • Alterações respiratórias, principalmente à noite: bronquite, pneumonia, asma, etc.
  • Outras manifestações: dor abdominal, arrotos frequentes, estômago pesado depois das refeições, soluços, enjoos, incômodos na laringe ou faringe, sensação de ter algum objeto estranho na garganta e inclusive afonia.
  • Nas crianças, o principal sintoma é a regurgitação excessiva e problemas respiratórios. Quando isso se torna crônico, pode culminar em uma anemia, torcicolo intermitente e atraso no crescimento.

Dicas para evitar o refluxo gástrico

Refluxo gástrico
  • Evite se deitar imediatamente após comer, principalmente depois do jantar. Deixe passarem algumas horas de acordo com o tempo “normal” que seu organismo leva para fazer a digestão;
  • Levante a cabeceira da cama a aproximadamente 15 centímetros, para isso é possível usar tocos de madeira debaixo de cada um dos dois pés dianteiros da cama. Assim, o corpo não ficará deitado por completo, mantendo uma inclinação segura;
  • Não coloque mais almofadas para elevar a cabeça quando for deitar, porque isso apenas flexionará seu pescoço, causando problemas. Na realidade, o que devemos elevar é todo o tronco superior e não apenas o pescoço;
  • Não use roupas ou acessórios muito apertados na hora de comer, o melhor são roupas que cedem, assim não ficarão muito apertadas no corpo;
  • Não faça refeições muito abundantes. É preferível que sejam seis porções pequenas ou duas moderadas;
  • Controle a obesidade e o sobrepeso;
  • Corte ou reduza o consumo de álcool e abandone o cigarro;
  • Evite alimentos e bebidas que relaxam o esfíncter esofágico, como, por exemplo, os chocolates, molhos, refogados, etc.
  • Evite fazer exercícios com movimentos bruscos, agachamentos, levantar pesos, etc. logo após as refeições;
  • Tente reduzir ao máximo o estresse;
  • Elimine alimentos que têm efeito irritante na mucosa gástrica e no esfíncter esofágico interior de sua alimentação. Alguns exemplos desses alimentos são: os gordurosos, alho, tomate, frituras, cebola, salgados fritos e de farinha branca, sucos, chá, fruto secos, bebidas de cola, refrigerantes, cítricos etc.;
  • Diminua o consumo de açúcares e alimentos processados, preste atenção ao equilíbrio da flora estomacal e intestinal;
  • Consuma mais frutas e verduras, bem como leite e iogurte desnatados.

Remédios naturais para curar o refluxo gástrico

  • Vinagre de maçã: antes das refeições, consuma uma colher de sopa de vinagre de maçã dissolvida em um copo de água gelada. Isso ajudará na digestão e ao mesmo tempo, proporcionará um alívio rápido do refluxo gástrico;
  • Bicarbonato de sódio: beba um copo de água com uma colher de sopa de bicarbonato de sódio, enquanto durar a efervescência;
  • Suco de babosa: é muito efetivo para o mal-estar estomacal e a inflamação do trato digestivo. Pegue um talo de babosa, tire a polpa e misture com um pouco de água. Beba uma vez por dia para aliviar os sintomas de queimação ou fogo na boca do estômago;
  • Alcaçuz: essa erva protege o trato digestivo e ajuda a eliminar o refluxo gástrico. Faça uma infusão com um pouco da planta seca para um litro de água. Tampe e coe. Beba uma xícara depois das refeições.
  • Leite de amêndoas: pode ser consumido antes ou depois das refeições, ou quando os sintomas de refluxo ou acidez começarem a aparecer. Coloque cem gramas de amêndoas com um litro de água no liquidificador. Misture bem e coe. É possível misturar de novo essa pasta com mais cinquenta gramas de amêndoas e meio litro de água. Adoce com mel, stévia ou canela.
  • Alimentos com fermentos naturais: assim como o leite ou água de kéfir, um pouco do líquido dos picles de pepino ou uma colher de sopa de chucrute. Isso aliviará rapidamente os sinais do refluxo gástrico.
  • Cravo-da-índia ou cardamomo: podem ser chupados como se fossem balas depois das refeições, ou ainda, é possível preparar uma infusão com ambos os ingredientes. Essas espécies te ajudarão a reduzir os níveis de acidez no estômago e os sintomas do refluxo.
  • Couve: prepare suco de couve diariamente (algumas folhas com um pouco de água no liquidificador), para tratar ou prevenir a ocorrência do refluxo gástrico.
  • Cominho: ferva uma xícara de água com algumas sementes de cominho e beba enquanto come.
  • Gengibre: o extrato de gengibre é muito bom para melhorar o mal-estar causado pelo refluxo. Também é possível realizar uma infusão com uma rodela muito pequena de gengibre em uma xícara de água fervente.
&source=https://www.portalvidanaroca.com.br">